Com a chegada do inverno, campanhas de vacinação estimulam a população a se prevenir contra a gripe. Mas muitos donos de animais de estimação se esquecem que tal cuidado deve ser estendido também aos pets. Conhecida também como tosse dos canis, a gripe canina é facilmente tratada, mas pode trazer complicações para saúde dos cães caso não seja rapidamente identificada, podendo, inclusive, evoluir para pneumonia.

A época de maior incidência da gripe canina é o inverno. Tal qual a gripe humana a tosse dos canis é transmitida pelo o ar ou contato com animais infectados e a temperatura baixa e o ar seco facilitam a sua transmissão. A doença não é transmitida para humanos ou para outras espécies de animais.

O principal sintoma da doença é uma tosse seca. Muitas vezes, para o proprietário esta tosse vai dar a impressão de um engasgo. O animal pode ficar bastante prostrado, apresentar secreção nos olhos e nariz além de febre. Em um estágio mais avançado a doença pode evoluir para um quadro de pneumonia.

Os animais mais acometidos são aqueles que não possuem vacina contra gripe, filhotes em geral e animais que convivem ou estão sendo mantidos com muitos outros cães como, por exemplo, e canis e hotéis. Já raças braquicefálicas, ou seja, com focinho curto como o Boxer, Shitzu e o Bulldog, são mais suscetíveis a apresentarem complicações da gripe canina em decorrência à anatomia do seu trato respiratório.

O tratamento envolve muitas vezes o uso de antibióticos, vitaminas e em alguns casos, tratamento ambulatorial com internação.

A única forma de prevenção são as vacinas contra gripe. Mas medidas profiláticas são bem-vindas, como evitar contato com animais doentes, ou estadia em locais de alto risco, como feiras com muitos filhotes. É muito importante que os donos se conscientizem de que o filhote só está apto a sair de casa quando estiver com sua vacinação completa. Uma boa alimentação também é importante, bem como adequadas condições de saúde e higiene. A gripe canina é uma virose simples e autolimitante, ou seja, se o sistema imunológico do cão estiver fortalecido, ele deve se recuperar em 4 ou 5 dias, como na gripe humana. Mas se sua imunidade estiver comprometida, podem surgir complicações em decorrência da doença.

É importante ressaltar que os animais devem ser sempre tratados pelo veterinário. Muitas vezes o proprietário pode querer medicar o animal em casa e não sabe que muitos remédios usados em humanos podem não ser os mais adequados, e acabam piorando o quadro dos animais. Além disso, em gatos e aves existem viroses que também se assimilam aos sintomas da gripe. No entanto, não são os mesmos agentes causadores da gripe do cão e cada espécie deve ser tratada de acordo com as suas particularidades.

Dra. Vanessa Mollica Caetano Teixeira
Médica veterinária
Especialista em clínica e cirurgia – UFV
Mestre em cirurgia – Unesp